Indefinição quanto ao E-escolas 2.0

Indefinição quanto ao E-escolas 2.0

E-escolas 2.0O novo Governo ainda não deu qualquer seguimento ao projecto e-escolas 2.0 que pretendia renovar o programa de distribuição de computadores portáteis aos alunos e professores, nomeadamente o Portátil Magalhães, mas desta feita privilegiando os conteúdos. O Plano Tecnológico da Educação do anterior Governo dotou as escolas portuguesas com computadores pessoais e quadros interativos, ligações à Internet de banda larga e redes locais. No total os números apontam para mais de 111 mil computadores, 28 mil videoprojetores e 5 mil quadros interativos.

Nuno Crato, o actual ministro da Educação e da Ciência, defende que mais que computadores ou quadros interativos, o que mais falta faz nas escolas é empenho.

Num discurso recente, o Ministro não fez qualquer referência ao uso das tecnologias da informação no âmbito da educação, nem ao equipamento das escolas.

Nuno Crato afirmou que é necessário fazer melhor com menos meios e que isso obriga ao empenho de todos, professores, alunos e pais, referindo também que é necessário haver mais disciplina e respeito pelos professores, tanto da parte dos alunos como dos educadores.

4 Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.