Portátil Magalhães agrada a Gregos e Troianos

Portátil Magalhães agrada a Gregos e Troianos

Magalhães agrada a Gregos e Troianos” height=”172″ width=”220″ alt=”Portátil Magalhães agrada a Gregos e Troianos”/>O Portátil Magalhães parece estar destinado a agradar a Gregos e Troianos, imitando o que o navegador que lhe deu nome também fez no século XVI. Senão veja-se: Fernão Magalhães acabou por deixar contentes portugueses e espanhóis aquando da sua circunavegação à volta do mundo. Agradou-nos a nós dado ter reclamado o feito enquanto português que era, e a Espanha, uma vez que foi ao serviço de Castela que deu a volta ao mundo. Actualmente, o Portátil Magalhães parece seguir-lhe as pisadas …

O Magalhães, já se sabe, contará com dual boot, trazendo de origem o Windows XP da Microsoft, e a distribuição Linux da Caixa Mágica, adoçando a boca quer aos seguidores da empresa de Richmond, quer aos defensores do software livre. Mas não é só … até no início da sua distribuição o Magalhães parece que muito diplomaticamente vai deixar todos agradados … ou quase todos.

Tínhamos dado aqui conta que na próxima terça feira, Sabrosa, considerada (pelo menos até há pouco tempo atrás) a terra natal do navegador Fernão de Magalhães, tinha sido escolhida para marcar o início da entrega dos Magalhães, no âmbito do programa e-escolinha. Adiantamos até com alguma probabilidade, que a cerimónia poderia decorrer na Escola Miguel Torga (EB 2/3 de Sabrosa).

Na altura, também referimos que a naturalidade do navegador é uma questão que actualmente se encontra em aberto, com Ponte da Barca e a própria cidade do Porto, a juntarem-se a Sabrosa como eventuais berços de Fernão Magalhães (ver notícia no Público).

Entretanto, o DN anunciou ontem que os primeiros Magalhães irão para outros locais além de Sabrosa. Precisando mesmo que serão 282 as unidades a serem entregues, e que serão divididos por Paredes, Matosinhos, Resende, Amadora, Castelo Branco e Portel, além de Sabrosa.

Assim sendo, este é mais uma achega para o carácter contemporizador do computador que imita quem lhe deu nome, não hostilizando nenhuma da partes. Sendo a cerimónia em Sabrosa, Ponte da Barca receberá também os primeiros Magalhães.

O Porto é que ficou de fora, mas provavelmente não estará entre os Gregos e Troianos a quem será preciso agradar, pois já pode reclamar para si a naturalidade de muitos outros vultos portugueses: Infante D. Henrique, Almeida Garrett, Júlio Dinis, Francisco de Sá Carneiro, Sophia de Mello Breyner … e tantos outros.

Fernão de Magalhães é oriundo de Ponta da Barca e deu nome a este computador. Não podia estar mais satisfeito com esta entrega. A educação é uma aposta muito importante da nossa parte e por isso, para além da satisfação que é receber os primeiros computadores, decidimos avançar com este apoio.

Vassalo Abreu, presidente da câmara de Ponte da Barca

A câmara municipal de Ponte da Barca vai investir 22 500 euros em noventa kits de acesso à Internet para alunos carenciados.

18 Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.